terça-feira, 12 de junho de 2018

Sempre Pouco

É sempre pouco o quanto espero
para ve-Te no Céu enquanto
espero ver-Te aqui no tempo,
espero um dia possuir-te só,
ser somente Teu, esquecer-me
de todo resto e a tudo ver
com Teu olhar, amar a todos
com Teu amor, viver de Ti,
abandonado, pobre, despojado

Mas eu sempre espero pouco,
o tempo é pouco, sempre curto!
Quando olho e vejo: já Te tenho,
já me tens e o passado é pó,
desfez-se num sopro e só,
já nem posso olhar atrás,
seria desistir do que esperei,
esperei tanto e tão pouco
agora que já me tens aqui

Desfez-se o tempo neste tempo
que já parece a Eternidade,
sou Teu Céu, Teu Sacrário
meu coração é Teu presépio,
sou Teu berço e ostensório,
sou barro e pó e me fizeste
vaso puro, pobre, simples
que Te espera acolher hoje
para sempre ser em Ti e só